Sindiposto | Notícias

O presidente da Shell (NYSE:SHEL) no Brasil, Cristiano Pinto da Costa, disse neste sábado, 8, que o Brasil está bem posicionado, em razão de suas reservas no pré-sal, mas precisa avançar em novas fronteiras exploratórias - sendo a bacia da foz do rio Amazonas uma delas - para suprir a demanda global por petróleo nas próximas décadas. Segundo o executivo, as reservas de petróleo provadas atualmente permitem ao Brasil atender a demanda de não mais do que doze anos.

Ao defender que a substituição dos combustíveis fósseis seja uma transição, e não uma ruptura, Costa entende que o País não pode destruir um modelo de desenvolvimento construído ao longo de décadas. Nesse sentido, ressaltou que o Brasil é uma potência não só de etanol, considerado uma fonte de energia limpa, mas também de óleo e gás. "O Brasil pode ser um grande ator no mercado de carbono também", assinalou Costa durante fórum da Esfera no Guarujá, no litoral paulista.

Por sua matriz energética baseada em fontes renováveis, e se reduzir o desmatamento, maior responsável pelas emissões do País, o Brasil, disse Costa, conseguirá cumprir metas de neutralidade de carbono até 2050, mesmo se continuar produzindo óleo e gás.

(Estadão Conteúdo)

Fonte/Veículo: Investing.com

Leia também:

article

Testar biodiesel puro ou o aumento da mistura? Para as montadoras, os dois

As experiências que algumas empresas brasileiras vêm fazendo, de utilizar biodiesel puro (B100) e [...]

article

ANTT atualiza tabelas dos pisos mínimos de frete

Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, no Diário Oficial da União da última [...]

article

Novas obrigações da ANP para os agentes econômicos que comercializam óleo diesel

A ANP publicou em 02/05/2024 a Resolução 968 que entrará em vigor em 31/07/2024 e traz novas espe [...]

Como posso te ajudar?