A Política de preços da Petrobras

14/09/2017

A Petrobras informa, que sua política de preços para a gasolina e o diesel vendidos em suas refinarias às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos nossos principais concorrentes para o mercado - importação do produto. Além de uma margem que considera os riscos inerentes à atividade de importação como volatilidade da taxa de câmbio e dos preços.

Em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional, analisamos nossa participação no mercado interno e decidimos periodicamente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias.

Os preços cobrados por estes produtos, no entanto, não dependem exclusivamente da Petrobras. Tributos e margens de comercialização são alguns dos componentes do preço final ao consumidor. Nos itens abaixo é explicado como funciona a composição de preços, a cadeia de comercialização e o comparativo dos preços ao consumidor em vários países.

Composição de preços ao consumidor

Baseado na média dos preços da gasolina ao consumidor das principais capitais.

  • 13%Distribuição e Revenda
  • 12%Custo Etanol Anidro
  • 29%ICMS
  • 18%CIDE e PIS/PASEP e COFINS
  • 28%Realização Petrobras

* Composição:73% gasolina A e 27% Etanol Anidro

*Período da coleta de 03/09/2017 a  09/09/2017

Concorrendo com o Etanol Hidratado e com o GNV, a gasolina abastece hoje cerca de 60% dos veículos de passeio no Brasil. Por isso, é importante que o consumidor conheça como funciona o mercado desse produto, desde o produtor até o consumidor final, e ainda saiba como é formado o seu preço.

O mercado da gasolina no Brasil hoje é regulamentado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pela Lei Federal 9.478/97 (Lei do Petróleo). Esta lei flexibilizou o monopólio do setor petróleo e gás natural, até então exercido pela Petrobras, tornando aberto o mercado de combustíveis no país. Dessa forma, desde janeiro de 2002 as importações de gasolina foram liberadas e o preço passou a ser definido pelo próprio mercado.

Ao abastecer seu veículo no posto revendedor, o consumidor adquire a gasolina "C", uma mistura de gasolina "A" com Etanol Anidro. A gasolina produzida pelas refinarias é pura, sem etanol. As distribuidoras compram gasolina A das refinarias da Petrobras e o Etanol Anidro das usinas produtoras (a Petrobras possui participação em algumas usinas). Elas misturam esses dois produtos para formular a gasolina C. A proporção de Etanol Anidro nessa mistura é determinada pelo Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool (CIMA), podendo variar entre 18% e 25%, através de Resoluções.

Na maior parte dos Estados, o cálculo do ICMS é baseado em um preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF), atualizado quinzenalmente pelos seus governos. Isso significa que o preço nos postos revendedores pode ser alterado sem que tenha havido alteração na parcela do preço que cabe à Petrobras.

No preço que o consumidor paga no posto pela gasolina C, além dos impostos e da parcela da Petrobras, também estão incluídos o custo do Etanol Anidro (que é fixado livremente pelos seus produtores) e os custos e as margens de comercialização das distribuidoras e dos postos revendedores.

Os preços nos postos de todo o país são monitorados pela ANP por meio de pesquisas semanais. Os resultados podem ser consultados no site da Agência (www.anp.gov.br).

Outras informações podem ser obtidas no Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone 0800 728 9001.

  1. Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços – Tributo estadual
    2. Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – Tributo Federal
    3. Programa de Integração Social / Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público – Tributos Federais
    4. Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – Tributo Federal

*Desde o dia 3 de julho de 2017 está valendo a nova política de preços da Petrobras. A revisão dos preços do diesel e da gasolina vendidos nas refinarias agora é feita com mais frequência e pode ser até diária. Esse valor pode ou não chegar às bombas de combustível porque o valor cobrado nos postos depende de outros fatores, como a própria decisão do comerciante de alterar o preço. Confira as variações ocorridas até a presente data:

Ajustes de Preços de diesel e gasolina clique aqui

Últimos ajustes (%) Diesel Gasolina

 

Fonte: www.petrobras.com.br