Petrobras adota mecanismo que permite segurar reajuste da gasolina

06/09/2018

A Petrobras anunciou na manhã desta quinta-feira mudança na sua política de preços para a gasolina. Com a mudança, a companhia poderá manter os preços estáveis nas refinarias por períodos curtos, de até 15 dias. Até o final de agosto, o preço da gasolina já acumulava alta de 28,2% nas refinarias.

O diretor de Refino e Energia, Jorge Celestino, explicou nesta quinta-feira, que a companhia não alterou sua política de preços para a gasolina que continua acompanhando a paridade com os preços internacionais. A empresa, segundo ele está adotando mecanismos financeiros de proteção para momentos de volatilidade dos preços internacionais, que permitirão que eventualmente os reajustes não sejam diários. Poderão ter mudanças em períodos de até 16 dias.

O diretor Financeiro da Petrobras, Rafael Grisolia, explicou que a companhia decidiu adotar o mecanismo para fazer frente à volatilidade dos preços internacionais. Segundo ele, a companhia continuará acompanhando o mercado externo, mas em momentos de grande volatilidade a Petrobras poderá ficar até 15 dias sem repassar os reajustes para suas refinarias.

Segundo o diretor, serão usados mecanismos de hedge (proteção) cambial para preservar a companhia nesses períodos. O objetivo é dar flexibilidade adicional à gestão de política de preços da gasolina.

A empresa soltou fato relevante na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em comunicado, disse “ser importante implementar mecanismos que lhe permitam ter a opção de alterar a frequência dos reajustes diários da gasolina no mercado interno, podendo mantê-lo estável por curtos períodos de tempo, de até quinze dias, conciliando com seus interesses empresariais”.

Fonte: O Globo