Dono da Rodopetro é suspeito de operar propina para o PMDB

09/05/2018

O empresário Angelo Tadeu Lauria, investigado pela Lava-Jato e suspeito de operar propina para políticos do PMDB, é um dos sócios da Rodopetro, distribuidora de petróleo que acumula dívidas de ICMS com o estado do Rio de Janeiro. Segundo investigações da força-tarefa, ele atuaria junto com o lobista João Augusto Rezende Henriques, condenado por repassar propina ao ex-deputado Eduardo Cunha na compra, pela Petrobras, de um bloco de exploração de petróleo na África. Henriques está preso e suas penas somam 13 anos e 8 meses de prisão.

Além da Rodopetro, Lauria foi dono da empresa de pescados Blue Deep, com sede em Guaratinguetá, no Vale do Paraíba (SP), e Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. A empresa faliu em 2010. Na Justiça Federal de Guaratinguetá, a Blue Deep responde a uma ação criminal e a uma de execução fiscal e por falta de pagamentos à Previdência Social.

Lauria e Henriques atuariam junto com Felipe Diniz, filho do deputado Fernando Diniz (PMDB-MG), já falecido, apontado como o responsável pela indicação do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, também condenado na Lava-Jato.

Num depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR), Fernando Diniz chegou a dizer que Lauria era apenas motorista de um lobista.

Cleide Carvalho e Gustavo Schmitt

Fonte: O Globo Online