Consumo de GNV aumenta 9% em 2017, mais que gasolina e óleo diesel

20/04/2018

Muita gente está voltando a olhar com carinho para um velho conhecido.

Trânsito lento até na hora de abastecer. As filas são de motoristas em busca de gás natural, o famoso GNV. E tanta espera tem um motivo: “O preço é mais em conta e você consegue rodar muito mais”, diz o motorista Denis Rafael Ferreira.

Com o aumento da procura, o posto teve que ampliar a capacidade e, mesmo assim, às vezes, o motorista precisa esperar. “Tivemos até que botar uma bomba para suprir a necessidade deles, porque senão a fila vai lá embaixo”, conta o gerente.

Quem está acostumado a pesquisar os preços nos postos já percebeu: o gás natural está bem mais barato que a gasolina. Por isso, o GNV se tornou o preferido de muitos motoristas, não apenas os profissionais, mas gente que trocou de combustível para economizar.

“É primordial para quem dirige, anda todo dia, utiliza o carro, não dá para manter na gasolina hoje em dia não. O valor está absurdamente impraticável. Não tem como”, disse o policial Wagner Pereira.

Em todo o país, os motoristas pagam em média R$ 2,55 pelo metro cúbico de gás natural e R$ 4,21 pelo litro da gasolina. Sem falar que o GNV rende mais. Com um litro de gasolina dá para rodar em média dez quilômetros, já um metro cúbico de gás chega a 14.

O resultado foi um aumento no consumo de GNV em 2017, quase 9% em todo o Brasil. Um crescimento bem acima de outros combustíveis como a gasolina e o óleo diesel.

Para o carro poder receber gás natural, é necessário instalar e pagar por um kit. “A conversão está custando em torno de R$ 3 mil a R$ 5 mil. O cuidado que você tem que ter é você procurar uma oficina que seja credenciada no Inmetro”, diz Marcelo Mendonça, gerente da Abegás.

“Se for pessoa que roda pouco, aí não compensa. Mas eu, que rodo muito, compensa”, afirma o engenheiro Gentil Vasconcelos.

Fonte: Portal G1 (Jornal Nacional)