Prévia da inflação tem alta de 0,39%

24/01/2018

A prévia da inflação oficial acelerou de dezembro para janeiro, mas sem sobressaltos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) encerrou janeiro em 0,39%, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado foi o segundo mais baixo para o mês desde a implantação do Plano Real, maior só que o de janeiro de 2017 (0,31%). O ritmo de aumento de preços corroborou as expectativas de analistas do mercado financeiro por mais corte na taxa básica de juros, a Selic, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, nos dias 6 e 7 de fevereiro.

“A sinalização para fevereiro (de corte de 0,25 ponto porcentual) está bem encaminhada, e esses números do IPCA-15 mantêm espaço para isso”, avaliou o economista Carlos Lopes, do Banco Votorantim, lembrando que o nível inflacionário está baixo e a retomada da economia acontece de forma paulatina.

“A inflação acumulada em 12 meses ainda está baixa: 3,02%. Tem espaço para baixar os juros”, concordou Everton Carneiro, analista da RC Consultores.

Em janeiro, a tarifa de energia elétrica ficou 3,97% mais barata, com o retorno da bandeira verde, que elimina a cobrança extra por quilowatt hora (kwh) consumido quando há acionamento de usinas térmicas. Apenas a conta de luz deteve a inflação em 0,15 ponto porcentual no mês.

Por outro lado, os combustíveis voltaram a pesar no bolso das famílias. O litro da gasolina subiu 2,36%, o equivalente a quase um quarto de toda a inflação de janeiro. Depois de sete meses de queda nos preços, alimentos pressionaram o orçamento dos consumidores neste ano.

“À medida que os efeitos da supersafra se dissipem, os preços de alimentos devem mostrar variações cada vez mais próximas de sua sazonalidade”, previu Marcio Milan, analista da Tendências Consultoria Integrada.

Em janeiro, tomate, batata-inglesa, frutas e carnes já aumentaram, acompanhando movimento característico dessa época, em que há maior volatilidade do clima. O feijão-carioca e o leite longa vida ficaram mais baratos.

Carneiro diz que o momento é de recuperação gradual da atividade econômica e de taxa de desemprego elevada, o que ajuda a conter a inflação.

Fonte: O Estado de S. Paulo